segunda-feira, 9 de junho de 2014

As lutas da Exclusão


Quando a bandeira fala mais alto que a verdade? Quando o EGO chega primeiro que a igualdade? Quando a convicção de alguns deve ser disseminada em detrimento da crença de outrem? Quando as pessoas aprenderão, que a única forma de acabar com o preconceito e implantar a igualdade é "tornando - se igual?"

O que vemos na sociedade contemporânea são grupos sociais, ligados por um fator que os tornam comuns, lutando para fazer com que suas idéias e modo de vida sejam propagados e aceitos nos outros grupos.  Isso tem se confundido com igualdade e inclusão, mas não é e está longe de ser!

As pessoas estão mais preocupadas em mostrar aos outros como estão certas e que o seu modo de vida é o correto do que em mostrar uma verdade, algo em que creem piamente. O amor a "bandeira" que se cria e levanta é maior do que o todo. E quando o "todo"(diga - se, a maioria) permite- se apoiar as idéias de um grupo em questão, o ego de quem a criou inflama e, nesta hora, não importa mais se todos estão juntos pela mesma causa e sim quem grita mais alto.

O que eu vejo de fora, mas bem de fora mesmo, de todas as vozes, protestos e discursos bonitos, é que grupos fortes estão se formando e com o apoio da lei levantando as suas bandeiras e disseminando idéias que alcançam muitos, sim, mas que não concretizam o objetivo da igualdade. Enquanto cada um estiver levantando a sua própria bandeira e gritando os seus ideais isso nunca será possível. Essas pessoas estão apenas formando muros, muros estes que o "cobrem" de todo olhar maldoso e ato violento, muros que os separam dos outros, muros que excluem.

Quantos homossexuais você conhece que são racistas? Eu conheço vários! E negros que são homofóbicos? Quantas pessoas tem preconceito com gente de renda inferior? E o preconceito contra aqueles que não tiveram acesso a educação e falam/escrevem errado? Será que esses que levantam tão fortemente a sua bandeira em prol da IGUALDADE estão se preocupando com os outros que também são negligenciados/excluídos? Definitivamente, não! Então, ao meu ver, estes discursos que tem se propagado na mídia e nas redes sociais sobre inclusão, me soam um tanto quanto hipócritas.

Acredito que está na hora de pararmos de pensar um pouco como negros, brancos, heteros, homossexuais, homens , mulheres, gordos , magros, pobres ou ricos e pensarmos como humanos, apenas. Um mesmo discurso que generalize tudo, uma mesma bandeira que acolha a todos, um mesmo ideal: O amor!

Quando todos pararem de olhar o que se tem de divergente e começarem a ver o que têm em comum, colocando - se no lugar do outro, pregando e VIVENDO um Reino de amor, então a igualdade será alcançada em sua plenitude.


2 comentários:

  1. Cheguei aqui pela amiga Evanir.
    E achei interessante.
    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  2. OI AMIGA DESCOLADA!
    ME DIRIGI A TI ASSIM, PORQUE PROCUREI EM TEU PERFIL TEU NOME QUE É COMO GOSTO DE ME DIRIGIR NOS COMENTÁRIOS MAS, NÃO O ENCONTREI E SEI QUE MUITOS NÃO QUEREM DIVULGAR SEUS NOMES VERDADEIROS O QUE RESPEITO.
    TEU TEXTO ESTÁ MUITO BOM, COERENTE E TRAZENDO UMA MENSAGEM DE NÃO À HIPOCRISIA E A FALSIDADE DE DISCURSOS E ATITUDES QUE NA MAIORIA DAS VEZES DIVIDEM MUITO MAIS DO QUE UNEM, JUSTAMENTE POR SEREM FALSOS E INCONSISTENTES.
    GRATA POR TUA IDA AO "SÓ PRA DIZER".
    TE SIGO E VOLTAREI.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir